Never been pretty

Não sou bonita. Nunca fui. Nunca chamei atenção das pessoas apenas por estar ali e sem abrir a boca. Sou diferente, exótica. Quando criança, estudei em um escola alemã, em que a grande maioria das garotas era loirinha, de olhos claros e pequena. E eu, sempre fui grande, em muitos anos, uma das maiores da minha classe (ficava lá atrás na fila da festa junina, sem possibilidade alguma de ser a noivinha).

Minha condição de olhos puxados bem escuros, cabelos pretos e lisos, cara achatada e um narizinho de batata, naquele cenário de pessoas pequenas e loiras, me fez ser vítima de gozação (ou buylling, nos dias de hoje). Mas tb, não morri, fui vivendo, com algumas marcas, mas fui vivendo. Enfrentei do jeito que podia…

Mas, tudo isso me deu uma vantagem. Aprendi a chamar atenção com substância. Desde criança leio muito, começando com contos de fadas, passando por Pedro Bandeira e chegando aos Nobels. Vejo muitos filmes, ouço muita música, leio muita notícia – o que me faz conseguir conversar sobre praticamente qualquer assunto. E sou simpática, sorrio muito, dou muita risada e faço muitas brincadeiras. Tento, na medida do possível, manter uma atmosfera boa, alegre, energizante e de liberdade (esta última, tenho que dizer, é o que eu mais gosto em mim). Além disso, tento melhorar sempre: gosto de moda e de maquiagem, corro e tenho uma alimentação relativamente saudável.

Aí vc me pergunta: por que esse texto neste blog? Bom, é um desabafo. E para falar que conteúdo é importante (mais importante, até) e para te convencer que todas essas bobagens de filmes, livros e músicas te fazem uma pessoa melhor, mais interessante. Além disso, é muito importante se esforçar ao máximo para ser simpática, coerente e manter uma atmosfera leve ao seu redor (ninguém gosta de gente que emana aquela energia negativa). Sou prova absoluta de que tudo isso dá certo.

Se você, como eu, não passou na fila da beleza várias vezes e também ainda não começou a se dedicar a “ser mais interessante”, nunca é tarde. Comece simples, devagar. Como, por exemplo, pelo cinema. Fiz uma seleção de 4 filmes lindos, que podem ajudá-la a gostar de filmes.

Bonequinha de Luxo (Breakfast at Tiffany’s)

Por quê? É um marco do cinema, das histórias românticas que eu particularmente adoro. É histórico e é lindo! Fala do alpinismo social e de prostuição de forma simples e incrivelmente leve. Tem que ser visto por qualquer mulher. (Veja aqui o trailer)

Dançando na Chuva

Por quê? Esse filme é uma ode ao cinema e aborda, de forma leve, o período em que o cinema passou de mudo para falado. É necessário! (Veja aqui a cena mais famosa do filme)

O fabuloso destino de Amelie Poulain

Por quê? É um filme que vai além do filme. Brinca com todos os sentidos, enche os olhos, os ouvidos… Tem momentos que parece que você sente o cheiro, o sabor e o tato das daquilo que acontece no filme. É lindo, lindo… (Veja aqui o trailer)

Simplesmente Amor

Por quê? Porque ele, simplesmente, alterou a concepção do que era comédia romântica. São 8 pequenas histórias românticas, uma diferente da outra, que acontecem no decorrer do filme e que são simplesmente encantadoras. Além disso, trabalha com tamanhas frustrações… Fico até com falta de ar de lembrar de algumas cenas… (Veja aqui o trailer)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s