I´m a day girl!

Se tem uma coisa que não gosto de abrir mão é ir a praia durante o Réveillon. Para mim, o ano não começa bem se eu não pulo minhas sete ondinhas, bebo espumante à beira mar, pulo na areia descalça parecendo criança e vejo uma queima de fogos na orla. É sempre assim, independente do ano.

E gosto do antes também! Na praia, acordo cedo e sem preguiça, sem reclamar. Às 7h:

– Amor, o sol, o sol! Vamos à la praia, ôôôôô… Bom dia, dia! Bom dia, sol! Bom dia, mar! Bom dia, pássaros! Bom dia, Amor!

Às 8h, depois do café da manhã reforçado (para poder ficar até as 16h na praia), inúmeros cremes no corpo e cabelo depois e kit diversão (maçã, frescobol, protetor solar, livro e boné) às mãos:

– Amor, vamos logo!

Às 8h30:

– Amor, estou indo. Me encontra lá!

Às 15h/16h volto, almoço e descanso. Às 18h vou correr e, como é horário de verão, ainda é dia! Nada de criativo, todo ano é a mesma coisa. E todos os dias de viagem. Na praia tenho ataque de felicidade, vejo o sol e meu semblante brilha. Pareço criança na Disney ou coisa parecida.

Eu queria morar no Rio! Iria correr todos os dias na praia, mergulharia no mar para tirar o suor, iria para casa tomar banho e só então, trabalho! Sonho de consumo, sonho de vida. Eu sou assim, a menina do dia, que acorda cedo, que adora praia, que dorme cedo. Não consigo viver claustrofóbica, sem luz, sem sol, sem olhar para fora!

Neste réveillon, provavelmente estarei na Ilha Bela. Se não der certo, vou ter que filar uma caminha para dois em alguma casa de praia de meus amigos! Alguém me convida? rs

Reforma agrária e Band News FM

Hoje pela manhã fiquei impressionada com o Editorial que a Band News FM veiculou no horário comandado pelo brilhante Boechat. Dessa vez, a indignação da Rede Bandeirantes foi a aprovação do governo Lula de alguns termos estabelecidos pelo MST (Movimento Trabalhadores Rurais Sem Terra) – mais especificamente sobre a atualização dos índices de produtividade para a desapropriação e efetivação (em partes) da reforma agrária tão prometida nas campanhas eleitorais do presidente.

Não sou a favor do socialismo, comunismo e afins, mas acredito piamente na necessidade de uma reforma agrária justa e benéfica para a produção agrícola brasileira. Acho, de fato, um absurdo que terras imensas sejam mantidas pelos marajás brasileiros, sem nenhuma funcionalidade. Afinal, terras são espaços e, no mundo de hoje, esse é um dos problemas que atravancam a produção de alimentos no mundo – que é uma preocupação constante para daqui há alguns anos. Ou seja, terras improdutivas não só atrapalham a economia do país, como também contribuem para a fome no mundo, mesmo que indiretamente e exageradamente.

Enfim, a Band News FM – que tanto respeito – caiu no meu conceito a partir do momento que defendeu os interesses de uma minoria dominante, sem ao menos expor o outro lado da história. Jornalismo muito feio.

Tentei achar o link com a gravação, mas não consegui no site da emissora de rádio. Segue abaixo o link do Brasil de Fato, comemorando a atualização dos índices que se mantinham os mesmos desde 1975.